Como ajudar o planeta (e nós mesmos) preservando as praias

Na década de 1990, o Dr. James Ludwigg estava pesquisando a vida dos albatrozes na remota ilha de Midway, no Oceano Pacífico, a vários quilômetros da população. Ao encontrar alguns filhotes dos pássaros sem vida, resolveu saber do que haviam se alimentado.

O resultado o assustou: no estômago de oito filhotes, encontrou 42 tampinhas plásticas de garrafa, 18 acendedores e restos flutuantes que, em sua maioria, eram pequenos pedaços de plástico. Os albatrozes haviam alimentados seus filhos com o que achavam ser alimentos do mar, mas, na verdade, eram detritos que haviam viajado até ali.

wikimedia.jpg.1340x450_default.jpg

Foto: reprodução / WikiMedia

 

Pequenos objetos, grandes consequências

Os chamados micro-lixos (pequenos objetos em pequenas quantidades) são os resíduos mais comuns deixados pelas pessoas nas praias, apesar de serem os que mais facilmente podem ser descartados da forma correta. Pequenas embalagens, papéis, latas, tampinhas de garrafa, cigarros e semelhantes são coisas minúsculas que, em grande quantidade, podem causar grande impacto, como constatado com os albatrozes.

Algumas atitudes negligentes em relação ao lixo que produzimos afetam fortemente diversos setores do meio-ambiente, assim como nossas vidas e experiências. Deixar restos de alimentos e outras variedades de resíduos nas praias, por exemplo, pode, aos poucos, ir tornando o local impróprio para banho e prejudicial a saúde: o lixo que fica na areia, contaminando-a, logo contamina o mar e, consequentemente, as pessoas.

misturaurbana.jpg.1340x450_default.jpg

Foto: reprodução / MisturaUrbana

 

Até coisas aparentemente inocentes, como levar os animais de estimação para caminhar na areia, pode contribuir para a diminuição da “saúde” da beira-mar. Caso o animal precisa atender à suas necessidades fisiológicas, por exemplo, será difícil controlá-lo.

Não é difícil ajudar

Assim como atitudes aparentemente pequenas podem trazer graves consequências para o meio ambiente, mudar alguns hábitos, agindo conscientemente em diferentes ocasiões, também pode trazer enormes benefícios.

unisinos.jpg.1340x450_default.jpg

Foto: reprodução / Unisinos

 

Ao ir à praia, levar algumas sacolas para lixos reciclados e orgânicos é uma atitude muito bem-vinda. Levar talhares e utensílios não-descartáveis, que podem apenas ser lavados e reutilizados, também é de grande ajuda para diminuir a quantidade de resíduos gerados. Lembre-se: plástico e meio ambiente não combinam.

Fora do litoral, nossos hábitos também podem ser melhorados para melhorar a saúde de todos. Evite deixar resíduos espalhados pelas ruas, como latas e garrafas. Lembre-se que todo o detrito que vai para os bueiros pode escoar em rio e ser levado para o mar. Ao utilizar o vaso sanitário, a consequência se mantém: qualquer lixo que “vai pelo cano”, consequentemente vai parar, uma hora ou outra, nos oceanos.

globoesporte.jpg.1340x450_default (1).jpg

Foto: reprodução / GloboEsporte

 

Lugar de todos

Algo que motiva muitos a esquecerem ou simplesmente deixarem detritos nas areias das praias e em outros lugares é o pensamento de “estarei aqui só hoje, quem vier depois de mim que se preocupe”. Porém, em todos os espaços públicos, temos de ter em mente aquilo é um bem de todos, um lugar que qualquer um pode aproveitar, no momento que quiser. Cada atitude negativa hoje pode resultar num grande problema no futuro. Vamos fazer nossa parte?

 

Fonte: EcoDesenvolvimentoEuroOscar.